1.2.3. Hallogenados

Hallogenados

Os hallogenados são gases ou líquidos que vaporizam rapidamente em contato com o fogo, devido a este fato, após o uso deixam pouco resíduos corrosivos ou abrasivos; são maus condutores de eletricidade; possuem uma alta densidade no estado líquido, o que permite seu armazenamento em depósitos compactos.

Na prevenção de incêndio, a maior utilização dos hallons é na área de equipamentos elétrico/eletrônicos, motores de navios, aeronaves, locais de difícil acesso e por motivo de limpeza.

Este agente extintor pode ser usado em todos os tipos de equipamentos de combate a incêndio: unidades extintoras, carretas, unidades estacionárias, engenhos e viaturas, e instalações fixas.

Tipos de Hallons utilizados: brometo de metila (hallon 1001), bromotrifluormetano (hallon 1301), bromoclorodifluormetano (hallon 1211), tetracloreto de carbono (hallon 104), clorobromometano (hallon 1011), dibromotetrafluormetano (hallon 2402).

A ação extintora do tetracloreto de carbono (hallon104) já era usado e conhecido desde os fins do século 19, entretanto era pouco utilizado devido o seu alto custo até que foi desenvolvido o processo de eletrólise da salmoura para obtenção do cloro, o que tornou mais viável economicamente a sua produção, quando passou a ser utilizado como agente extintor.

Os extintores de tetracloreto de carbono utilizados no começo do século eram operados com auxílio de bombas manuais para auxiliar na obtenção do jato. Com o advento da aeronáutica, os motores dos aviões representavam um risco de incêndio que exigia um sistema de proteção automático, compacto e eficiente, o que foi obtido por volta dos anos 20 com o emprego do tetracloreto de carbono. Posteriormente foi utilizado em equipamentos, contidos em bulbos de vidros tipo granadas, em aerosóis e em extintores manuais pressurizados. Entretanto, devido sua toxidez, sua utilização começou a ser combatida a partir da década de 60 até que em 1968 juntamente com os extintores de clorobromometano foram impossibilitados de uso por legislação americana.

O brometo de metila (hallon 1001) foi reconhecido no final da década de 20, como um agente superior ao tetracloreto de carbono para aplicação na aeronáutica. Em 1938, na Inglaterra foi adotada a utilização do brometo de metila nas instalações fixas de proteção dos motores dos aviões. No início dos anos 60, foi substituído pelo bromoclorodifluormetano (hallon 1211) nas aeronaves civis, entretanto, ainda é utilizado por alguns aviões militares. Na Alemanha, era utilizada tanto para aviões civis como militares, uma mistura de 50% de brometo de metila e dibromo de etileno, mistura altamente tóxica, o que fez com que o brometo de metila tivesse seu uso abandonado em 1941 e substituído pelo bromoclorometano (hallon 1011). O brometo de metila nunca teve grande utilização em extintores devido a sua toxidez.

O terceiro hallogenado a ganhar desenvolvimento foi o clorobromometano (hallon 1011), que tem um ponto de ebulição relativamente alto 66°C (151°F) por isso é mais recomendado para extintores que para instalações fixas. Foi desenvolvido na Alemanha entre 1939 e 1940 para substituir o altamente tóxico brometo de metila.

Em 1954, virtualmente todas as unidades da Força Aérea Americana tinham substituído os sistemas de proteção automáticos dos motores das aeronaves, de CO2 e de brometo de metila por sistemas de clorobromometano. Este agente foi utilizado pela aeronáutica americana em extintores portáteis e carretas até fins de 1973, quando começou a substituí-los por unidades semelhantes de bromoclorodifluormetano (hallon 1211).

Após a Segunda Guerra Mundial, o campo dos agentes extintores aumentou significantemente com o desenvolvimento da tecnologia do flúor, quando os agentes extintores hallogenados contendo flúor puderam ser obtidos e produzidos fácil e economicamente. O desenvolvimento destes produtos químicos como agentes de refrigeração, propelentes para aerosóis e como solventes industriais, facilitou a produção relativamente econômica dos bromofluorcarbonos que possuem excelentes qualidades extintoras e toxidez relativamente baixa.

Em 1947 a Purdue Esearch Foudation fez para o Exercito Americano uma avaliação sistemática de mais de 60 candidatos a agentes extintores substituídos do tetracloreto de carbono e do brometo de metila de metila. Desta pesquisa foram selecionados quatro agentes hallogenados, para avaliação futura no emprego específico de combate a incêndio:

a)- Bromotrifluormetano – hallon 1301
Este hallon foi selecionado em 1954, como o agente extintor menos tóxico e o segundo em eficiência extintora pelo Exército Americano para ser usado em extintores portáteis, para proteção dos motores de avião O mecanismo pelo qual o hallon 1301 extingue o fogo não é completamente conhecido, contudo, acredita-se que se trata de uma inibição físico-química da reação de combustão.

b)- Bromoclorodifluormetano – hallon 1211
O hallon 1211 inicialmente começou a ser utilizado na Europa para proteção de motores de aeronaves, posteriormente, nos anos de 60 passou a ter largo uso para extintores e sistemas fixos, tanto no mundo civil e militar. Entretanto, nos Estados Unidos só passou a ter bastante utilização após o ano de 1973, quando foi aprovado em testes de laboratório os primeiros extintores deste agente.

c)- Dibromotetrafluormetano – hallon 2402
Este hallon é utilizado principalmente na Itália e na Rússia para proteção de aeronaves, em sistemas fixos e em extintores manuais de incêndio.

d)- Dibromodifluormetano – hallon 1202
O hallon 1202 é um pouco mais eficiente que o hallon 1301, considerando-se por base o peso do agente, entretanto é o mais tóxico dos quatro hallons selecionados para combate a incêndio. Na atualidade este agente extintor está sendo abandonado.

Eficiência e Comparação

Comparativamente aos pós químicos, há um consenso geral de que o desempenho dos hallons 1301 e 1211 é equivalentes ao do pó químico seco bicarbonato de potássio.

Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

Comentários

  • goodfire  On 17/09/2010 at 7:02 pm

    Não vi até agora descrição completa sobre hallons como esta. Não dá para falar sobre extintores de hallon? Como funcionam? Tenho um em meu avião e não tenho idéia de como fazê-lo funcionar.

    Osvaldo Kleair

  • goodfire  On 17/09/2010 at 7:04 pm

    Osvaldo dentro em breve falaremos sobre o funcionamento dos extintores de hallon, inclusive com fotos. Ná época chamarei sua atenção para a novidade

    Torquete

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: